sábado, 30 de abril de 2011

UN PORTUGUES QUE QUIERE TRABAJAR EN ARGENTINA

Ex.mos Senhores Luso descendentes,

Sou um jovem jurista português com 33 anos, que pretende trabalhar em Buenos Aires, por razões pessoais.
Gostaria de saber se os responsáveis pelo blog luso descendentes conhecem alguma oportunidade de trabalho na área administrativa ou comercial.
Envio em anexo o meu Cvitae.
Grato pela atenção.

Ricardo Santos

CURRICULUM VITAE
INFORMAÇÃO PESSOAL
NOME: Ricardo Vieira Andrade dos Santos
MORADA: Rua 25 de Abril, nº 262, 2º, 4710 – 914 Braga, Portugal
TELEFONE / TELEMÓVEL: 00 351 253 214428 / 00 351 96 6226052
E-MAIL: ricardo_asantos@hotmail.com
NACIONALIDADE: Portuguesa
DATA DE NASCIMENTO: 07.04.1978
EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL
ADVOGADO ESTAGIÁRIO desde 1 de Outubro de 2004 até Outubro de 2007;
ADVOGADO desde Outubro de 2007 até à presente data;
Exercício de Advocacia Empresarial, com especial incidência no Direito Comercial e
Fiscal.
FORMADOR em DIREITO na Escola Profissional Amar Terra Verde ao Curso
Técnico do Comércio em 2006 e 2007.
DIRECTOR DO CURSO Técnico de Serviços Jurídicos na Escola Profissional Amar
Terra Verde em 2008 e 2009.
REALIZAÇÃO DE UM ESTÁGIO no Escritório de Advocacia Gandra Martins em S.
Paulo, no Brasil (2009), visando obter um melhor conhecimento do Sistema Tributário
Brasileiro (em anexo se junta declaração emitida pelo Professor Doutor Ives Gandra da
Silva Martins).
FORMAÇÃO ACADÉMICA
LICENCIATURA em DIREITO pela Universidade Católica Portuguesa do Porto, com
média de 13 valores.
Encontro-me a concluir uma Pós Graduação em Direito Fiscal das Empresas, na
Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra.
LÍNGUAS
Português
Espanhol
Inglês (Conhecimentos médios)
APTIDÕES E COMPETÊNCIAS SOCIAIS
Boa apresentação
Responsável
Dinâmico
INFORMÁTICA
Curso da Microcamp Internacional de 1 ano;
Sistemas Operativos: Windows
Processadores de Texto: Ms Word
Folhas de Cálculo: Ms Excel
Outros: Access, Ms Power Point, Internet Explorer
HÓBBIES
Leitura
Música
Natação
OBSERVAÇÕES
Possuo bons conhecimentos na área da economia e um elevado interesse pelo mercado
de capitais

1960... la llegada de Palmolive a Portugal

1960 Anuncio de máquinas Singer

http://ilustracaoportuguesa.tumblr.com

Antiguos anuncios comerciales sobre salud

ILUSTRACAO PORTUGUEZA 1917
http://ilustracaoportuguesa.tumblr.com

viernes, 29 de abril de 2011

Filipa Pato, distinguida enóloga portuguesa

Enóloga portuguesa distinguida como melhor produtora do ano por revista alemã

A enóloga Filipa Pato, venceu o 'Oscar' do Vinho pela melhor produtora do ano, uma distinção atribuída pela prestigiada publicação gourmet alemã 'Feinschmecker', tornando-se na primeira e mais nova mulher portuguesa a receber esta distinção.

Produtora de vinhos da região das Beiras, Filipa Pato, com 36 anos e dez anos de experiência na área, foi a melhor das seis enólogas nomeadas para o título, por ser a que "mais impressionou pela excelência e pelo carácter inovador dos seus vinhos", refere uma nota divulgada pela revista alemã.

"Este ano, pela primeira vez, fomos nomeadas seis mulheres e havia uma candidata muito forte que faz um vinho de grande referência em Itália e por isso nunca pensei que fosse ganhar. É um reconhecimento muito importante para o nosso projecto na Bairrada mas também para Portugal", disse Filipa Pato em entrevista à agência Lusa.

DIARIO DE NOTICIAS

En la foto, Filipa Pato junto a 
Álvaro Cézar Galvão

Centro Patria Portuguesa presente en el aniversario de Villa Tesei

Fado Tango Club, un gran acontecimiento en Buenos Aires

¿Alguien lo habrá filmado? ¿alguien lo habrá grabado?
Los portugueses y lusodescendientes de las provincias, y los que están en otros países, queremos escuchar estas maravillas interpretadas por Karina Beorlegui, Ana Kusmuk, Dulio Moreno, Javier Cardenal Domínguez y muchos otros en homenaje a la Revolución de los Claveles...






Gracias, Víctor Antonio Lopes, por las fotos.

Miguel Horta, escritor portugués, dicta seminario en Buenos Aires

Seminário “Mediar a Língua Portuguesa: do texto escrito à oralidade”

O Instituto Camões Buenos Aires tem o prazer de informar que no dia 3 de Maio, Terça-feira, entre as 18:30 e as 20:00 horas, realizará o seminário “Mediar a Língua Portuguesa: do texto escrito à oralidade” com Miguel Horta, artista plástico e narrador, no Salón de Conferencias do IESLV "Juan Ramón Fernández".
A actividade destina-se a estudantes e professores dos cursos de estudos portugueses (Profesorado, Traductorado e cursos livres) e ao público em geral.
Actividade de carácter gratuito; não requer inscrição.

Miguel Horta
O pintor contador de histórias.
Miguel cruza imaginários como quem mistura pinceladas de cor. Pragas algarvias, contos crioulos, histórias de pescadores, tudo cabe no seu saco. É mediador de livro e da leitura na Biblioteca António Ramos Rosa, bairro da Cova da Moura e conta contos pelo país.
Miguel Horta é um pintor, que escreve e ilustra os seus livros ao sabor do levante que sopra pela ria e pelos duros arrifes do barlavento. Desde criança que teve o contacto decisivo com o mar e com todos os mentirosos imaginativos que seguiam a bordo da embarcação. Depois, quando não havia oceano, existiam os livros com todo aquele mundo para ser lido através dos olhos dos outros.
Talvez mais importante que os peixes, sejam as pessoas com as suas histórias; foi assim que se embrenhou pelo interior do país descrevendo outras vivências que podemos escutar nos seus textos ilustrados e nos contos partilhados. 

LA VOZ DEL CLUB PORTUGUES

Mariana Accinelli presenta una noche de fados y una cena espectacular

Siguiendo con esta “onda fadista”,el próximo miercoles 4 de mayo, quienes viven en Buenos Aires están invitados a un nuevo encuentro con el FADO.
Esta vez en la voz de Mariana Accinelli, en La Paila (Restaurante-Show)
Para presenciar el show, el costo es de $25. Nuestra recomendación, es que disfrute tambien de una cena tipica del noroeste.
Visite el menú en la pagina www.lapaila-restaurante.com.ar, y vaya reservando su mesa….

Contacto. accinellimariana@hotmail.com 15-4186-8056

GRANIZO EN LISBOA

Granizo "pinta" Lisboa de branco

.

Uma violenta trovoada e um temporal de chuva e granizo estão a assolar desde as 15,40 horas desta sexta-feira parte da cidade de Lisboa, nomeadamente na zona de Benfica, provocando a interrupção do trânsito na segunda circular. Veja os vídeos
O granizo faz parte das precipitações fortes que estavam previstas para a região de Lisboa pelo Instituto de Meteorologia, que se encontra em alerta amarelo desde quinta-feira.

JORNAL DE NOTICIAS

EL DESEMPLEO EN PORTUGAL

O desemprego em Portugal ficou nos 11,1 por cento em Março, uma estabilização face ao mês anterior e um subida em termos homólogos face aos 10,7 por cento do mesmo mês de 2010, avança o Eurostat.

Na União Europeia a taxa de desemprego manteve-se estável face a Fevereiro situando-se nos 9,5 por cento em março, mas desceu em termos homólogos face aos 9,7 por cento no mesmo mês de 2010.

Também estável ficou a taxa de desemprego da Zona Euro nos 9,9 por cento em março face a fevereiro, contra os 10,1 por cento em termos homólogos.

No mês em análise, Portugal ocupa o décimo lugar dos países da UE com a taxa de desemprego mais elevada, de acordo com a tabela da totalidade dos países, incluindo aqueles cujos últimos dados disponíveis são relativos a Fevereiro deste ano.

http://www.agenciafinanceira.iol.pt

jueves, 28 de abril de 2011

José Vilhena y la revista transgresora "Gaiola Aberta"

José Vilhena nasceu a 7 de Julho de 1927 na aldeia de Freixedas, perto da Guarda. O seu pai era um pequeno proprietário agrícola e a mãe professora primária. Aos dez anos foi para Lisboa estudar. Até ao quarto ano do Liceu, permaneceu na capital, mas foi depois para o Porto onde tinha uma tia. Após um ano de tropa, seguiu para as Belas Artes e cursou arquitectura. Porém, tinha começado a fazer desenhos para jornais e abandonou o curso no quarto ano. "Diário de Lisboa", "Cara Alegre", "O Mundo Ri" são alguns dos jornais e revistas onde trabalhou, nos anos 50, alternando com alguns trabalhos em publicidade. Fixou-se na zona do Bairro Alto, o "sítio dos jornais" onde convivia com os jornalistas. A partir dos anos 60 a sua actividade de escritor desenvolve-se. Os seus livros e os seus desenhos provocam-lhe problemas com a polícia, especialmente com a PIDE-DGS, constantes apreensões dos seus escritos e três visitas à prisão de Caxias (sempre sem julgamento).
Até ao 25 de Abril de 1974, escreve entre 60 e 70 livros (o número é incerto por falta de registos). Nesse ano, logo a 15 de Maio sai o primeiro número da Gaiola Aberta. Desde 1984 e durante 12 anos foi dono das boites Noite e Dia e Confidencial. Após uma pausa na publicação de revistas, volta à carga com "O Fala-Barato". Em 96, fez no palácio de Galveias a primeira grande exposição da sua obra de pintura sobre o 25 de Abril.

Apenas alguns dias após a revolução do 25 de Abril, Vilhena lança finalmente um "quinzenário de mau-humor". A primeira "Gaiola Aberta" sai a 15 de Maio de 1974. Nessa época agitada, a "gaiola" é um reflexo constante dos acontecimentos políticos e sociais que abanam o país em turbulência. Voltar a ler hoje essas revistas, é uma autêntica lição de história contemporânea, contada por um olhar esclarecido e sobretudo extremamente bem informado. O sucesso da revista foi considerável chegando aos 150.000 exemplares.
Nesta revista, Vilhena usa uma nova técnica: a fotomontagem. Com ela faz o seu "folhetim PIDE", uma fotonovela sobre a polícia política do regime. Todos os políticos passaram sob a mira certeira e mortífera deste humorista. É de referir o seu alvo de predilecção: Vera Lagoa. Era como o Eça de Queiroz, que quando lhe faltava tema, atacava o boi de Tunes. Sempre que podia, Vilhena atacava o "oportunismo político de Vera Lagoa". Quando lhe perguntam porquê, responde apenas que era porque sabia desenhá-la.
Porém, a fotomontagem causou-lhe pelo menos um problema grave: no nº 105, de Novembro de 1981, Vilhena fez uma fotomontagem em que apresentava a princesa do Mónaco numa pose pouco digna. Era uma paródia a um anúncio de uma marca de brandy. O principado do Mónaco processou o humorista exigindo 400.000 dólares. Finalmente, após alguns anos de processo, foi retirada a queixa. Pouco tempo depois, no entanto, a "Gaiola Aberta" encerrou. No entanto, Vilhena voltou ao ataque com "O Fala-Barato".






Hierbas aromáticas

Ervas aromáticas

ervas aromaticas sn01

Directamente da minha horta, um pequeno grupo das indispensáveis ervas aromáticas, acabadinhas de fotografar.
Algumas, como os orégãos e estragão, nem tanto aromáticas mas sobretudo pelo sabor. Como temperos, em saladas ou chãs, as ervas aromáticas devem fazer parte de qualquer horta familiar, ou até mesmo em vasos numa simples varanda.
Outras mais, também existentes, poderiam aqui ser incluídas, como o alecrim, rosmaninho, alfazema ou lavanda, basílico ou manjericão, já a crescer, santolina, cebolinho, coentros, louro, lúcia-lima, etc.

www.santanostalgia.com

Un producto portugués internacional

Luças desde 1920
Estabelecida em Matosinhos, um dos centros pesqueiros mais importantes de Portugal e o mais importante porto de Pesca de Sardinha da Europa, Luças & Cª., Lda. (1940) é a continuadora das firmas Joaquim Ferreira Pedro Luças & Filhos Lda. (1887) a mais antiga Fábrica de Conservas por Sal de Matosinhos e da Santos Gomes & Gamito & Cª. (1931) em Setúbal.De cariz familiar e tradicional, a Empresa continua ainda hoje nas mãos dos descendentes dos seus fundadores mantendo viva a tradição e os valores de excelência que a criaram.


www.diasquevoam.blogspot.com

La chica del picnic/ año 1973

fuente: www.diasquevoam.blogspot.com

miércoles, 27 de abril de 2011

Las jubilaciones en Portugal

1,5 milhões de portugueses com pensão inferior a 485 euros

Em Portugal existem cerca de 1,5 milhões de pessoas com uma pensão inferior ao salário mínimo. Ou seja, estes pensionistas recebem menos de 485 euros por mês.
Segundo dados da Pordata, revelados pelo «Correio da Manhã», indicam que nos últimos 20 anos o número de pensionistas nesta situação aumentou em cerca de 438 mil.
De referir que, destes 1,5 milhões de pensionistas com reformas mais baixas, cerca de 169 mil receberam-na por invalidez.
Os portugueses têm vindo a reformar-se por velhice cada vez mais cedo. Há 10 anos, a idade média de reforma era os 64 anos. No ano passado, essa média caiu para pouco mais de 62 anos.
Uma das medidas que a troika pode propor é a passagem da idade da reforma dos 65 para os 68 anos.

JORNAL DO ALGARVE

Portimao/ Torneo internacional de gimnasia rítmica

PORTIMÃO |Mais de 600 atletas batem recorde no torneio de Ginástica Rítmica »

09:33 am | O Torneio Internacional de Portimão de Ginástica Rítmica comemora 25 anos e vai bater o recorde de participantes, num total de mais de 600 ginastas. Paralelamente, realiza-se a sexta edição da Taça do Mundo da modalidade, que vai reunir, até domingo, as melhores atletas do mundo no Portimão Arena.  

JORNAL DO ALGARVE
April 27 2011 
Mais de 600 atletas batem recorde no torneio de Ginástica Rítmica

lunes, 25 de abril de 2011

ENCUENTRO DE TANGO Y FADO EN BUENOS AIRES

Un pedido a los organizadores: que se filme en DVD y se grabe en CD este espectáculo. Eso permitiré que lo puedan ver las distintas colectividades en Argentina y el mundo. Ustedes saben que la Argentina no termina en la General Paz...

Recordando la "Revolución de los claveles" en Buenos Aires... un espectáculo imperdible

Fado-Tango Club 26 de abril, 20.30hs, Teatro Regio:
Única Función "Homenaje a la Revolución de los Claveles de Portugal" Karina Beolegui y Los Primos Gabino, Fadeiros, Cardenal Dominguez/Reinaudo/Argañaraz, Alfredo Piro/Carlos Filipo, Dulio Moreno, Federico Mizrahi; Christine Breves, Ramon Maschio, Bernado santiago, Pablo Bronzini. Entradas $20 en cualquier sede del Complejo Teatral Buenos Aires.

Para portugueses y lusodescendientes en Buenos Aires, un espectáculo imperdible.

Y para los que estamos lejos...

Ojalá podamos disponer de la filmación y el audio, para poder verlo y escucharlo quienes estamos en otros lugares de Argentina y el mundo. Si lo publican en CD o en DVD seguramente muchos querremos tener uno o más ejemplares.

Dejá tu comentario aquí o envialo a lusodescendientes@yahoo.com.ar o metete en nuestro grupo Portugal Argentina en Facebook... Los comentarios nos invitan a seguir subiendo noticias, imágenes y notas.

Recordando el 25 de abril de 1974, una fecha que todo portugués y sus descendientes debemos conocer

La Revolución de los Claveles (en portugués: Revolução dos Cravos o, mucho más frecuentemente, O 25 de Abril) es el nombre dado al levantamiento militar del 25 de abril de 1974 que provocó la caída en Portugal de la dictadura salazarista que dominaba el país desde 1926, la más longeva de Europa. El fin de este régimen, conocido como Estado Novo, permitió que las últimas colonias portuguesas lograran su independencia tras una larga guerra colonial contra la metrópoli y que Portugal mismo se convirtiera en un estado de derecho liberal.

Fuente: wikipedia

La revolución de los claveles; dos canciones por radio fueron las señales

Movimentações militares durante a Revolução

No dia 24 de Abril de 1974, um grupo de militares comandados por Otelo Saraiva de Carvalho instalou secretamente o posto de comando do movimento golpista no quartel da Pontinha, em Lisboa.
Às 22h 55m é transmitida a canção ”E depois do Adeus”, de Paulo de Carvalho, pelos Emissores Associados de Lisboa, emitida por Luís Filipe Costa. Este foi um dos sinais previamente combinados pelos golpistas e que desencadeou a tomada de posições da primeira fase do golpe de estado.
O segundo sinal foi dado às 0h20 m, quando foi transmitida a canção ”Grândola Vila Morena“, de José Afonso, pelo programa Limite, da Rádio Renascença , started on April 25, 1974, in , que confirmava o golpe e marcava o início das operações. O locutor de serviço nessa emissão foi Leite de Vasconcelos, jornalista e poeta moçambicano.

Fuente: www.enciclopedia.com.pt

En Portugal es el "día de la libertad"/ Homenaje a la "revolución de los claveles"

Revolução dos Cravos

é o nome dado ao golpe de estado militar que derrubou, num só dia, sem grande resistência das forças leais ao governo - que cederam perante a revolta das forças armadas - o regime político que vigorava em Portugal desde 1926. O levantamento, também conhecido pelos portugueses como 25 de Abril, foi conduzido em 1974 pelos oficiais intermédios da hierarquia militar (o MFA), na sua maior parte capitães que tinham participado na Guerra Colonial. Considera-se, em termos gerais, que esta revolução trouxe a liberdade ao povo português (denominando-se "Dia da Liberdade" o feriado instituído em Portugal para comemorar a revolução).

Portada del diario REPUBLICA, del 25 de abril de 1974

viernes, 22 de abril de 2011

Costumbres portuguesas: "Atacar o maio"

1 DE MAYO EN LA QUINTA DA SAUDADE

El domingo 1 de mayo como es tradicional estaremos festejando el día de trabajador en nuestra quinta. Como no podía ser de otra manera lo haremos con un asado a la parrilla, y para hacerlo mas portugués le agregaremos sardinas a esa parrilla.
Pero para no perder la tradición de Portugal se los espera bien temprano para "atacar o Maio" con ricas delicias caseras y una bebida bien fuerte.
Para entender un poco más la tradición les dejamos este párrafo escrito por el portugués Helder Raimundo.
ATACAR O MAIO COM FIGOS E MEDRONHO
Abril, águas mil! Lá diz o ditado popular. Findo o mês de Abril e com ele as águas mais fortes, floresce o mês de Maio, de tons amarelos e rôxos. Morre definitivamente o Inverno, ainda disfarçado de Primavera. Giestas, mimosas, estevas e lírios, anunciam, no campo, o final da noite, do frio, do vento, da chuva e da neve. É um tempo novo de luz, calor e fertilidade que nasce.Na nossa tradição agrária antiga, é uma luta tenaz entre a morte e a vida. E esta, para ser vitoriosa, necessita de um esforço ritual e cíclico do homem, vital para ajudar as forças da natureza a renascer.
No primeiro de Maio, consagrado como o dia das “Maias”, colocam-se flores de giesta nas janelas e nas portas, nas carroças dos bois, nas fontes e nos largos. Enfeitam-se bonecos de palha, que são colocados nas janelas ou mesmo nos telhados, como era hábito em Portimão. Em Alte, os maios são deixados às esquinas das ruas, às vezes suportando versos a propósito.
Na aldeia de Querença, uma pessoa vestida de branco, vinha cedo pela manhã, como é tradição, bater às portas dos vizinhos, desafiando-os a sair de casa, com vários subterfúgios: “Venha daí home, que o seu burro anda no trigo!Era necessário sair de casa cedo, para evitar que o “Maio” entrasse. Seguiam depois em romaria, uns atrás dos outros, atacando o Maio, com figos enfarinhados e aguardente de medronho, portas adentro de cada casa por onde passavam.
O Maio, elemento nocivo era, assim, esconjurado para que a natureza surgisse fértil e limpa das maleitas do Inverno. As consagrações florais, as Maias (bonecos, raparigas ou rapazes) e o repasto tradicional rural composto de figos e medronho assumiam, no Algarve, as fórmulas de defesa da Primavera que se consolidava. Tradição agrária antiga, que misturou variadas práticas, remonta às festividades romanas da “Florália”, dedicadas à deusa Flora e a cultos medievais germânicos de Santa Valpurgis, conforme investigação do etnólogo Ernesto Veiga de Oliveira

LA VOZ DEL CLUB PORTUGUES 

Si esta nota te interesó esperamos tu comentario en nuestro correo
lusodescendientes@yahoo.com.ar

La librería más antigua del mundo es portuguesa

Livraria mais antiga do mundo é portuguesa

O atestado, certificado pelo Guinness Book of World Records, está patente desde ontem no interior da livraria Bertrand do Chiado, em Lisboa.
A livraria Bertrand do Chiado, em Lisboa, está de portas abertas desde 1732 e é o estabelecimento livreiro mais antigo em todo o Mundo. O atestado, certificado pelo Guinness Book of World Records, está desde hoje patente no interior da loja.
Ao longo dos anos, a livraria Bertrand tem sido retiro de escritores e refúgio de revolucionários. As histórias são muitas, nomeadamente as que envolvem conspiradores republicanos. José Fontana (que se suicidou no interior da loja), Antero de Quental e Aquilino Ribeiro são alguns dos “fantasmas” cujas sombras permanecem vivas no interior da Bertrand.
Ontem foi dia de recordar essas histórias e de garantir o futuro da livraria. Paulo Oliveira, administrador do Grupo Bertrand Círculo, proprietário do espaço, disse à Lusa que a loja do Chiado irá continuar como livraria “por mais 300 anos”, já que “representa um património cultural inalienável”.
A Bertrand, mais do que uma marca comercial, “simboliza a relação entre o leitor e o livro, em Portugal”, disse Paulo Oliveira ao lembrar as muitas tertúlias, lançamentos de livros, colóquios e debates, que constituem um tesouro de vivências culturais daquele espaço.

JORNAL DO ALGARVE

O nosso melhor desejo...

miércoles, 20 de abril de 2011

Actividades del Club Portugués de Buenos Aires

Domingo 1 de mayo 12 hs

Dia del Trabajador
Atacamos "O Maio" bien temprano

Asado y sardinas a la parrilla
En la quinta Da Saudade

www.lavozdelclubportugues.blogspot.com

JORNAIS PORTUGUESES/ Diarios portugueses

Correio da Manha

JORNAIS DE PORTUGAL 20 4 11

O Diabo


Trabajos y trabajadores

Cabeleireiro de senhoras
Secador de pé
O Sr. Júlio Martins Negrão foi o primeiro cabeleireiro de senhoras em São Brás de Alportel. Começou a trabalhar em Maio de 1956, e aprendeu com o pai; aos 10 anos já ia com ele para o salão.
Na altura um corte de cabelo era de 7$50 , uma mise era 12$50, um corte e mise era 20$00 e uma permanente custava 30$00. Tinha a melhor clientela da vila.
Anos mais tarde tornou-se cabeleireiro unisexo e hoje com 80 anos, ainda trabalha. O Sr. Júlio diz que gosta muito da sua profissão e que tem muito gosto por aquilo que faz. /Ser cabeleireiro é uma arte. 

http://patrimoniosba.blogspot.com

Semana Santa y Pascua en Portugal

Páscoa em Portugal
  • É nesta altura em que se limpam muito bem as casas, se pintam (ou caiam, nas zonas em que isso é habitual) e se arranjam pois irá passar o Compasso (a Visita Pascal), que é uma ida do padre a cada casa para abençoar (e benzer) aquele lar e os que ali vivem.

  • Tudo isto ligado à Ressurreição de Cristo e à celebração da Vida.

  • Para além de todas as celebrações e significados da Páscoa, em Portugal é também uma festa especial dos padrinhos (e madrinhas).

  • Tradicionalmente, para além das amêndoas (porque parecem ovos pequeninos) e dos ovos (símbolo da vida), existe o pão-de-ló e os folares que se oferecem às crianças (especialmente pelos padrinhos).

  • Estes doces também estão em cada casa para receber o Compasso.
    É um sinal de hospitalidade para o padre e os seus acompanhantes (que, para não ficarem embuchados, têm também à disposição um copinho de licor ou um cálice de vinho do Porto).

  • Os folares, como sabem, têm um ou mais ovos dentro - e lá voltamos aos símbolos da Páscoa.

  • Antes da Páscoa, na Quaresma, o tempo é de jejum - evita-se comer carne e a ementa das sextas-feiras deve ser peixe (bem, na verdade, não deve é ser carne) por respeito, pois foi na sexta-feira que Jesus foi crucificado e morreu.

  • Mas como no Domingo de Páscoa se celebra a festa da Ressurreição (voltar à vida, ressuscitar), volta a comer-se carne: cabrito ou borrego, como se fazia nos tempos antigos. E os doces, claro, que incluem todos os tradicionais e os folares, como dissemos.

  • Só mais uma coisa.
    Também acontece em muitas localidades celebrar-se a Semana Santa (a semana em que Jesus foi preso, julgado e condenado) com procissões de velas, à noite, ou representações teatrais (populares) desses acontecimentos.
http://www.junior.te.pt/servlets/Rua?P=Portugal&ID=620

¿Leyó este artículo? Escriba su comentario.
Escreva o seu comentario....

lusodescendientes@yahoo.com.ar

Aquellos zuecos de madera

Socas barrosãs já não ressoam na calçada - Montalegre

As socas da Terra do Barroso já não confortam os pés das gentes da terra fria transmontana.
O sapato tradicional de madeira e couro é hoje procurado como peça de decoração, utilizado em ocasiões pontuais. Os soqueiros desapareceram quase ao ritmo traçado pela conquista do calçado moderno.
No início de cada Primavera, o soqueiro da aldeia ia de porta em porta medir pés e fazer socas. Durante o tempo frio, a madeira de vidoeiro secava atrás da lareira. Com o início do calor a madeira estava pronta para confortar os pés do povo barrosão. O pé colocava-se em cima de um pedaço de madeira. Com um lápis, o soqueiro desenhava a forma e em seguida talhava a madeira que se queria leve e resistente. A parte de cima era feita de couro.
Em tempos pretéritos, as 35 freguesias do concelho de Montalegre tinham um soqueiro, hoje não existe nenhum e as socas são um adorno, utilizadas em ocasiões festivas ou para uma ida ao quintal da casa. «Eu sou o único sapateiro, de concerto de calçado, que há em todo o concelho», diz João Madeira.
Na sua oficina expõe alguns exemplares de socas antigas, mas também algumas que nunca foram calçadas. «Não fui eu que as fiz», apressa-se a explicar. «Mas sei fazer. O que acontece é que já tenho tanto trabalho que não consigo fazer as socas, ainda para mais quando não têm muita procura».
João Madeira comenta que há quem tenha umas socas em casa apenas «pela tradição e como peça de decoração». No entanto, acrescenta: «ainda se vêem pessoas com as socas. Como a madeira protege da água há quem as use para ir ao jardim, à horta ou para lavar o carro».
O ‘toc toc’ da madeira a bater no chão já não se faz ouvir nas ruas das aldeias do Alto Rabagão, a não que seja dia de festa e esteja actuar um grupo folclórico. Ver as socas a luzir nos pés fica agora reservado a estes dias festivos.
A soca de enfiar, ou em formato de bota, era o toque final de uma indumentária que também se começa a perder no tempo. A capa de burel e a croça de junco, capuchos feitos de junco normalmente usados pelos pastores eram algumas das peças com que estas gentes do Norte Português enfrentavam os rigores do frio.

Autora: Sara Pelicano
Fonte: Café Portugal
 
www.trajesdeportugal.blogspot.com

Los trabajadores del corcho

Tirador da Cortiça - Alentejo

(…)
O Sol vai alto, mas o trabalho metódico de «descascar» o Quercus Suber, o nosso sobreiro, não pára. A conversa entre os «tiradores» (assim se chama a quem tira a cortiça da árvore) flui enquanto as mãos, auxiliadas por machados, cortam e arrancam a cortiça à árvore. Abre-se, separa-se, traça-se, extrai-se. Um trabalho metódico e cheio de saber este o de «descortiçar», ou «despelar», retirando a pele áspera à árvore. A operação é delicada, exige atenção. Em causa pode estar a sobrevivência da árvore. Há que não ferir com o machado a parte de dentro dos sobreiros. Há, também, que desinfectar o machado se se desconfiar de doença na árvore. Acima de tudo, nunca tirar do sobreiro demasiada cortiça. Por outro lado há que saber quando parar. Quando a cortiça «não dá», deve-se suspender o «descortiçamento».
A tira é a primeira etapa de uma longa viagem que termina, muitas vezes, à mesa, quando retiramos a rolha a uma garrafa de vinho. Termina a tira em mais uns quantos sobreiros. No campo, as longas pranchas de cortiça aguardam o momento de serem empilhadas. Antigamente, carregavam-se para a estrada a esforço de burro. O almocreve dava as ordens. Hoje, o trabalho tornou-se menos penoso, faz-se com máquinas de arrasto.
Tirar cortiça é um trabalho violento e que requer alguma agilidade e um pouco de especialização, e, por vezes o homem tem que andar descalço em cima das pernadas das árvores.
Neste trabalho, os empilhadores e carregadores da cortiça usavam safões de lona.

Trajo composto por:
Colete:
De cotim simples mas de banda.
Camisa: De riscado de risca, com colareta e abotoada até à cintura.
Calças: De cotim, estreitas e terminando à boca-de-sino.
Ceroulas: De pano-cru ou riscado claro.
Cinta: Preta.
Meias: De linha de algodão a cores, feitas à mão com cinco agulhas.
Lenço: Que usava aberto debaixo do chapéu para se proteger do sol.
Chapéu: De feltro preto de aba larga.
Botas: De atanado ou de bezerra afiveladas ou com ilhoses e cardadas na sola.

Utensílios:
Machado:
Com corte semi-curto e a ponta do cabo achatado.
Alforges: Pequeno ou grande, para levar o comer, conforme os dias que estivesse sem vir a casa
Barril: Para água fresca
“Burro”: Tronco de sobreiro com três pés, que se encosta ao tronco do sobreiro e serve para o homem subir

Fonte: Grupo Folclórico e Cultural da Boavista/ www.trajesdeportugal.blogspot.com

Si en su familia hubo un trabajador del corcho, escríbanos su historia... Deje su comentario aquí o en lusodescendientes@yahoo.com.ar

martes, 19 de abril de 2011

Consejos para viajeros: cuidado con los carteristas

MIL CARTERISTAS OPERAN A DIARIO EN LISBOA


Aviso para viajeros. La prensa portuguesa se hace eco del clamor popular contra la proliferación de robos a turistas y lugareños. El denominado "pickpocket" en inglés, es decir, el levantamiento de cartera, abunda más de la cuenta en una de las ciudades más turísticas de Europa y por otra parte bastante segura. Por lo visto los hurtos se concentran en los tranvías más frecuentados, como el 28 que sube al Castillo de San Jorge o el 15, que se dirige a Belem, aunque también se debe tener mucho cuidado en el metro en momentos de alta ocupación y en las estaciones más céntricas.

Según informan medios lusos, los ladrones se van de rositas y no hay manera de pillarlos infraganti, aunque me temo que la policía lisboeta debería ponerse dúramente con el tema porque la cosa ya clama al cielo. Yo mismo he visto intentos de robo en varios transportes públicos de la ciudad y he recurrido a gritar para disuadir a los autores. Los delincuentes actúan en equipo y el que sustrae la cartera se la pasa enseguida a otro compañero que a su vez la entrega a un tercero, de forma que no hay manera de atrapar al culpable ni recuperar la cartera.

El peligro es grave en el centro de Lisboa y en la Praça da Figueira incluso se roban bolsos a las señoras que se sientan en la terraza de la Pastelaría Suiça, como me informaron en su momento las empleadas del local.

Los ladrones no es que sean tan finos como en España pero andan muy listos, así que cuidadín en el centro de Lisboa...

www.todoportugal.blogspot.com

El puente de Goián

El río Miño, conocido como Minho en portugués, marca la frontera natural entre España y Portugal durante muchos kilómetros. Hasta hace muy pocos años la zona más meridional de la provincia de Pontevedra no tenía ninguna comunicación por carretera con Portugal a no ser que subiera hacia el norte para cruzar en río en Tui y pasar a Valença. Otra opción era el ferry que comunica A Guarda con Caminha. Desde hace unos años el puente de Goián nos permite visitar lugares de Galicia como Baiona y pasar a Portugal en unos minutos, acercándonos a la preciosa villa de Vila Nova de Cerveira. El ahorro de tiempo es considerable para los que hacen el viaje a menudo y permite que el viajero turista se desplace de un lado a otro de la frontera casi sin darse cuenta.



Aunque esto parezca muy obvio, los mapas no siempre son tan claros y muchos automovilistas desconocen la existencia de este puente, que facilita las rutas turísticas costeras. También podemos utilizar el ferry de Caminha pero sujetándonos a horarios y al abono de un billete bastante barato. 






www.todoportugal.blogspot.com

lugares/ Viseu, la ciudad de las rotondas

FUNICULAR GRATUITO EN VISEU

Viseu no es precisamente una ciudad turística pero si nos encuentra de camino podría ser una buena idea darse una vueltecita por la zona histórica, que está muy bien conservada. No hay muchos hoteles pero ahora tienen hasta una Pousada asequible y un hotel de cinco estrellas como el Palacio dos Melos, que compiten en precio para deleite del viajero.

Los portugueses ven Viseu como la ciudad de las rotondas y eso se percibe nada más llegar. Viseu se ha modernizado muchísimo y desgraciadamente ha perdido el ferrocarril que un día tuvo, pero ahora llega un nuevo tren que solo recorre una distancia de 400 metros salvando un desnivel de 64, lo que equivale a una rampa del 16%, típica de gran puerto de montaña. Lo mejor es que no cuesta nada utilizarlo y siempre es divertido para los que somos aficionados a los trenes o también para los niños, aparte del cómo servicio que presta en los calurosos días de verano. Viseu tiene un comercio espectacular, con dos importantes centros comerciales, uno en plena ciudad (Forum) y otro en periferia (Palacio de Gelo). Lo mejor de Viseu es que en su zona noble tiene un auténtico sabor portugués. La ciudad, a pesar de haber crecido muchísimo, conserva un cierto encanto de autenticidad. Desde Salamanca se llega en poco más de dos horas, al igual que desde Oporto. Hay que destacar también que el municipio contribuye a la conservación del medio ambiente con el uso de autobuses eléctricos que hacen un recorrido circular y cuyo billete cuesta menos de 50 céntimos.

En Viseu también tienen plato propio, el llamado "rancho", que es un bestial cocido con carne y garbanzos acompañados por macarrones, cosa rara donde las haya. Por cierto que la zona es de gran prosperidad económica y se beneficia de su proximidad a la costa. En septiembre se celebra la feria de San Mateo, que es todo un espectáculo ahora ya carente de la chispa de otros tiempos y convertido en feria de muestras convencional.

www.todoportugal.blogspot.com

Menina da Ría, la canción de Caetano sobre Aveiro

La anécdota de Aveiro y Caetano
La ciudad de Aveiro es atravesada por un río al que los portugueses llaman “Ria”. Caetano Veloso, quien una vez diera un concierto en Aveiro, paró mientras cantaba un clásico de sus temas, llamado “Menino Do Rio” y dijo: “La Ria es una característica de la ciudad. Es muy bonita (…) Yo voy a escribir una canción que se va a llamar “Menina Da Ria”. El público se reía mucho, y aplaudieron, yo hice ese compromiso y cuando llegué a Brasil la compuse”.
La canción hace referencia a los barcos de Aveiro, los “ovos moles” (un dulce portugués) y los edificios Art-Noveau.

http://www.lisboando.com/agenda/caetano-veloso-en-lisboa-y-una-anecdota-de-aveiro

REVISTAS PORTUGUESAS





ALGARVE EN LAS SIETE MARAVILLAS DE LA GASTRONOMIA

Algarve com seis pratos na corrida às 7 Maravilhas da Gastronomia

A região algarvia conseguiu a eleição de seis pratos entre os 70 pré-finalistas do concurso “7 Maravilhas da Gastronomia”. O Algarve leva à final iguarias como Muxama de Atum, Arroz de Lingueirão, Percebes de Aljezur, Xarém com Conquilhas, Perdiz à Algarvia e, para terminar o banquete, o tradicional doce Dom Rodrigo.

O Algarve está representado em quase todas as categorias do concurso das 7 Maravilhas da Gastronomia de Portugal – entradas, sopas, peixes, marisco, carne, caça e doces. Os seis pratos eleitos ultrapassaram com sucesso a segunda fase do concurso e competem agora diretamente com outros 70 candidatos de peso.
Entre as iguarias algarvias que integram a lista das candidatas à vitória final encontra-se, logo na categoria das entradas, a Muxama de Atum. Este é um produto artesanal fabricado essencialmente em Vila Real de Santo António, com a mesma receita que fenícios e romanos usavam há mais de dois mil anos: os lombos de atum são passados por sal grosso e depois lavados para retirar o excesso de sal. Depois, secam em ambiente controlado e são cortados em fatias finas.
Após o aperitivo, o “Algarve à mesa” salta a sopa e apresenta nos pratos de peixe o Arroz de Lingueirão, um prato típico da gastronomia algarvia. Os sabores do mar algarvio continuam na lista dos 70 pré-finalistas com os Percebes de Aljezur e o Xarém com Conquilhas, na categoria dos mariscos. O percebe, tal como a autarquia de Aljezur realça, “é um dos mariscos com maior tradição e mais apreciados desta costa”. “Cresce agarrado às rochas, em zonas onde a água é mais ´batida´, e tem reconhecidamente um sabor singular, devido às condições naturais únicas, tanto a nível ambiental como a nível da dinâmica do mar, proporcionando um sabor exclusivo”, evidencia o município, sublinhando que “vestígios pré-históricos atestam que já os antepassados dependiam da apanha de mariscos do mar para sobreviver”, atividade que ainda hoje persiste no concelho.

Algarve de fazer crescer água na boca
Ainda na mesma categoria de mariscos, o Algarve apresenta o Xarém com Conquilhas. Xarém é um nome de origem árabe dado a papas de milho, um prato regional que se come e é muito apreciado por toda a região, depois de quase ter caído no esquecimento.
Continuando a “viagem gastronómica” pelos pratos eleitos no concurso das 7 Maravilhas da Gastronomia, o Algarve não tem pratos de carne, mas existe um de caça: a Perdiz à Algarvia. Este prato, que representa o município de Alcoutim, está associado à riqueza cinegética e as tradições gastronómicas locais e regionais ligadas à caça.
No final, para concluir em grande o banquete, o Algarve apresenta o doce Dom Rodrigo, um dos produtos tradicionais da região mais conhecidos entre os gulosos e não só. Ovos, açúcar e amêndoa são os ingredientes deste doce que vem embrulhado em papel metalizado colorido.

JORNAL DO ALGARVE

lunes, 18 de abril de 2011

Turismo de salud en Algarve

Algarve aposta no turismo de saúde
Turismo de saúde é um conceito que alia qualidade de serviços médicos às paisagens do Algarve e é uma aposta forte, juntamente com as chamadas “férias cirúrgicas” de alguns estabelecimentos de saúde esta região tão dependente das receitas do turismo.

Hospitais e hotéis estabelecem parcerias que permitem aos pacientes recuperar de intervenções cirúrgicas em hotéis. Os hospitais fazem mesmo uma espécie de “serviço ao domicílio”, só que desta feita com cuidados médicos.

Há quatro hospitais privados do Algarve, dois do grupo HPP da Caixa Geral de Depósitos e dois do grupo Hospital Particular do Algarve, que se localizam em Faro, Lagos e Alvor que recorrem a esse tipo de parcerias com unidades hoteleiras.

Os hospitais de Santa Maria de Faro e São Gonçalo de Lagos recebem uma grande percentagem de pacientes estrangeiros que vêm não só tratar problemas de saúde, mas também cuidar da beleza através de operações de aumento ou redução dos seios ou lipoaspirações, por exemplo.


Envíenos su comentario
Escreva o seu comentario




SÃO BRÁS DE ALPORTEL - SABORES DO CALDEIRÃO

III Quinzena Gastronómica

III Quinzena Gastronómica
III QUINZENA GASTRONÓMICA DE SÃO BRÁS DE ALPORTEL - SABORES DO CALDEIRÃO
9>25 ABRIL 2011
Nesta PÁSCOA,
todos os SENTIDOS vão dar a SÃO BRÁS DE ALPORTEL

No coração do sotavento algarvio, São Brás de Alportel guarda um tesouro gastronómico, bem preservado do passar do tempo… Predominam os sabores da alimentação mediterrânica, tão saborosa e saudável. Verdadeiras tentações para os sentidos, a que não vai resistir… e para acompanhar a refeição, não faltam os doces regionais confeccionados à base de mel, alfarroba, figo e amêndoa; o bom vinho, e finalmente, o mel, a aguardente de medronho e o licor de alfarroba…
Não resista à Tradição! Celebre a Páscoa com os Sabores do Caldeirão!

III Gastronomic Journey's
FLAVOURS OF CALDEIRÃO

In the heart of the Eastern Algarve, São Brás de Alportel keeps a gatronomic treasure, well preserved between times… Predominate the flavours of the mediterranian food, so healthy and tasty. Real temptation for all senses, at which you'll not resist… To serve, you have the regional sweet made up on bases of honey, carob, fig and almond; good wine and finally, the honey, the simple brandy of arbutus berry and carobs liquor…
Do not resist temptation! Celebrate Easter with the Flavours of Caldeirão!
Uma iniciativa da Câmara Municipal de São Brás de Alportel, com a colaboração dos restaurantes locais e o apoio da Associação de Industriais Hoteleiros e Similares do Algarve.
An iniciative of the Town Hall of São Brás de Alportel, with the collaboration of local restaurants and the support of Algarve Association of Hotel Industry.
Para mais informações, contacte:
Tel. 289 840 019 / E-mail:
gidi@cm-sbras.pt




Escríbanos un comentario.
Escreva o seu comentario.
lusodescendientes@yahoo.com.ar

São Brás Acontece

São Brás Acontece - Abril 2011
 
EM ABRIL, 30 DIAS PARA:
Primavera Jovem 2011Abril > Maio > Junho
Arte > Música > Moda> Teatro > Dança > Stand Up > Desporto > Aventura > AnimaçãoUm programa Jovem, para o/as Jovens de todas as idades!
  • Dias 2 a 16 > Viver intensamente este Mês da Dança
  • Dias 9 a 25 > Provar os Sabores do Caldeirão na III Quinzena Gastronómica
  • Dias 15 a 29 > Ouvir Contos de Liberdade
  • Dia 16 > Assistir ao Campeonato Regional de Kickboxing
  • Dia 24 > Cumprir a tradição na Festa das Tochas Floridas
  • Dia 30 > Ir ao Teatro e assistir à peça “Primeiro”
Se quiser receber mensalmente a agenda São Brás Acontece por e-mail, envie a sua morada de correio electrónico para gidi@cm-sbras.pt.

Déjenos un comentario. 
Escreva o seu comentario.
lusodedescendientes@yahoo.com.ar